Notícia

''Estar Solteiro ou em um Relacionamento Estável Influencia

14/02/2013
''Estar Solteiro ou em um Relacionamento Estável Influencia m ocasiões como o Dia dos Namorados, que em diversos países é comemorado neste dia 14 (Valentine's Day), muitos casais desejam que seus amigos solteiros encontrem um bom partido. Ao mesmo tempo, muitos solteirões convictos sentem pena de seus amigos casados pela falta de liberdade da vida a dois.
 
 
 
Segundo pesquisadores, as pessoas tendem a acreditar que seu modo de vida – ser solteiro ou estar em um relacionamento estável – é o melhor para o resto do mundo. Os resultados de quatro pesquisas, publicados juntos na revista Psychological Science, ainda sugerem que esse viés pode influenciar a forma como tratamos outras pessoas, inclusive em situações em que o status de relacionamento não deveria ser levado em conta. Segundo pesquisadores da Universidade de Stanford, nos EUA, e de Waterloo, no Canadá, sentir-se “preso” em um sistema social leva as pessoas a justificar e racionalizar essa opção.
 
As pessoas idealizam seu status conjugal como uma forma de lidar com insatisfações relativas à escolha que fizeram. E, de acordo com o primeiro trabalho, liderado por Kristin Laurin, da Universidade de Stanford, isso acontece especialmente quando a pessoa acha que sua situação é estável, ou seja, não vai mudar tão cedo. Isso foi detectado inclusive em indivíduos que não consideravam seu relacionamento ou sua solteirice tão bons assim.
 
Em um segundo estudo, os pesquisadores decidiram aproveitar o Dia dos Namorados para recrutar voluntários, já que nessa ocasião é difícil esconder o fato de estar solteiro ou em um relacionamento. Os participantes eram convidados a imaginar um Dia dos Namorados para uma pessoa hipotética do mesmo sexo.
 
Quem estava num relacionamento estável acreditava que o melhor para essa pessoa era celebrar a data acompanhado. E os solteirões convictos achavam que o personagem estaria melhor sozinho nesse dia. Preconceito Para investigar como esse viés influencia nosso comportamento em relação a outras pessoas, Laurin e sua equipe conduziram mais dois estudos, dessa vez manipulando a percepção de estabilidade dos participantes. Em uma simulação de entrevista de emprego, voluntários que foram levados a acreditar que sua situação conjugal era estável julgaram melhor os candidatos que tinham o mesmo status.
 
De acordo com os pesquisadores, os trabalhos são os primeiros a mostrar como o preconceito pode levar as pessoas a favorecerem quem possui o mesmo status de relacionamento.